Como funciona a migração de banco para AWS em empresas de médio porte?

Fique por dentro de tudo que acontece na Viceri

Assine a nossa Newsletter

Ao enviar este formulário, declaro que li e aceito a Declaração de Privacidade da Viceri.

Uma empresa de médio porte enfrenta desafios como uma gigante. Isso acontece diariamente e todo gestor é bem ciente disto. Mas muito além de todos estes desafios, ainda é preciso se preocupar com a segurança da sua base de dados. Arquitetar, proteger, migrar entre outras coisas, são necessidades que poderiam ser mais práticas se seu banco estivesse na nuvem. Isto daria mais tempo para  você se ocupar com o crescimento dos negócios.

As necessidades de uma empresa se transformam com o tempo e, por este motivo, a forma como trabalhamos também precisa mudar. Fazer a migração  do banco de dados para um serviço de nuvem gerenciado é uma vantagem para que você tenha um controle maior sobre as escalabilidade dos seus dados. E neste sentido, a AWS (Amazon Web Services) oferece o AWS Database Migration Service, um serviço disponibilizado pela Amazon para migrar os dados, tabelas e chaves primárias para a nuvem.

Como este tipo de migração acontece

O AWS Database Migration Service faz a migração do banco de dados para a AWS de um jeito muito rápido e em segurança. O banco de dados de origem pode permanecer operacional durante o processo, dependendo do tipo de migração que será feita. O AWS Database Migration Service viabiliza migrações homogêneas, onde o banco de dados de origem e destino são totalmente compatíveis. Viabiliza também migrações heterogêneas, onde o sistema gerenciador de banco de dados de origem e destino são diferentes.  

Sem complicações e com baixo custo

O AWS Database Migration é muito simples de usar. Você não precisa instalar um driver ou aplicativo e praticamente não são exigidas mudanças no banco de dados de origem. A migração do banco de dados pode ser feita em poucos cliques no Console de Gerenciamento da AWS. A complexidade do processo fica por conta do DMS, que replica automaticamente qualquer alteração que ocorra nos bancos de origem durante o processo. 

Também é possível configurar uma tarefa de migração, ou seja, os parâmetros que o serviço irá utilizar para executar o trabalho. Tudo isso em poucos minutos dentro do AWS Database Migration Service. É possível fazer configurações de conexões com bancos de dados de origem e destino e também a escolha da instância de replicação usada para executar o processo de migração. Depois, a mesma tarefa pode ser usada para teste antes que o trabalho seja de fato executado. 

O outro ponto positivo é que o AWS Database Migration Service tem um custo baixo. Você paga pelos recursos computacionais usados no processo de migração e por armazenamentos adicionais de log. Seja qual for o tipo de migração, é um grande contraste com a maioria dos métodos que geralmente são muito caros.

Compatibilidade 

No AWS Database Migration Service é possível fazer a migração da maioria dos bancos de dados comerciais e de código aberto utilizados. Elas podem ocorrer de bancos de dados locais para o Amazon RDS ou o Amazon EC2, bancos em execução no EC2 para o RDS, vice-versa, ou de um banco do RDS para outro RDS. Ele também permite migrar dados entre SQL, NoSQL e destinos baseados em textos.

Bancos RDS

O RDS (Relational Database Server) é um serviço que oferece uma abstração para um determinado banco de dados suportado (MySQL e PostgreSQL, por exemplo) com objetivo de facilitar o gerenciamento de bancos de dados relacionais na nuvem, tornando mais fácil a escalabilidade e backup desse recurso. 

RDS é um serviço para banco de dados relacional que serve apenas para isso. Se difere por ser autogerenciável. Você não tem acesso a máquina de modo geral, só ao banco de dados. 

Bancos EC2

O EC2 é um serviço da Amazon com o objetivo de oferecer instâncias computacionais (máquinas) escaláveis sob demanda, que podem ser utilizadas para fins mais gerais. Nesse serviço, é possível utilizar essas instâncias para hospedar uma aplicação web ou até mesmo um banco de dados. Lá você tem acesso ao sistema operacional convidado, com liberdade para usá-lo por completo, configurar firewall, instalar aplicações, entre outras coisas. É como se fosse um computador pessoal, mas hospedado na nuvem. 

Por que fazer a migração do meu banco de dados? 

Existe uma série de vantagens de migrar um banco de dados para a nuvem. Desde as vantagens financeiras e a diminuição de gastos, passando pelos processos diários de trabalho que são facilitados, e chegando até às questões jurídicas com a adequação da sua empresa com a nova LGPD.

◼️ Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre a proteção de dados na sua empresa

Vantagens econômicas e de processos de trabalho

Com a migração do banco de dados para nuvem você terá um controle maior da escalabilidade. Por exemplo, vamos supor que sua equipe dimensionou um computador para o banco de dados existente. No entanto, você tem uma previsão de duplicar seu banco no próximo ano. Você irá comprar um servidor maior, pois está com a ideia de que no próximo ano precisará do dobro de tamanho. Então acontece um superdimensionamento, e enquanto você não usa metade da disponibilidade do servidor, a sua máquina se desvaloriza,  tempo passa e ela fica ultrapassada. 

Ao contrário da nuvem. Com a migração do banco de dados para a nuvem você pode começar com um dimensionamento mais conservador e aumentar de acordo com a sua necessidade. Quando necessitar de um servidor maior, com alguns cliques você pega outro e seleciona uma máquina maior. Dessa forma, não tem prejuízo com um sistema defasado e nem a necessidade de comprar uma nova máquina.

É importante pensar que o impacto nos custos e os benefícios financeiros vão variar de acordo com a infraestrutura de tecnologia da empresa, de quais aplicativos são executados e também dos serviços de nuvem que já estão em uso, entre outros diversos fatores.

Vantagens jurídicas e adequações à nova LGPD

As adequações à nova Lei Geral de Proteção aos Dados Pessoais podem ser bem complicadas. No entanto, fazer a migração do banco de dados para a nuvem pode ser uma decisão acertada que deixa o processo mais tranquilo. Só ao migrar a carga de trabalho para a nuvem já garante que a empresa cumpra boa parte dos pontos estabelecidos. 

Pois bem, “boa parte” não é todo o processo. Mesmo após migrar tudo para nuvem, ainda é preciso rever alguns processos de tratamento de dados. Isso inclui regras de captação de dados, mapeamento de informações que a empresa já possui, políticas de acesso, entre outras coisas. 

A facilitação das formas de trabalho tem se tornado uma estratégia de negócio para as empresas. São novas maneiras de se atualizar no mercado e garantir mais segurança ao banco de dados da sua empresa. Quer saber mais? Fale com a gente. A Viceri tem um time de engenheiros certificados em AWS prontos para ajudar você a fazer o seu negócio crescer. 

Conteúdos Relacionados

Transformação Digital

O que é transformação digital?

A transformação digital é a integração da tecnologia digital em todas as áreas de um negócio, mudando fundamentalmente a forma como você opera e entrega

Leia mais »

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on linkedin