O caos e a ordem: como unir esses mundos rumo à inovação?

por Marcel Pratte*

Junho de 2022 – O mundo mudou com os atropelos da pandemia, que deixou clara a necessidade das empresas em se anteciparem no quesito inovação. Nos demos conta de que as crises em proporções globais podem ocorrer de forma inesperada, inclusive, nesse momento, estamos em uma nova crise mundial com a guerra entre a Rússia e a Ucrânia. Mas como se preparar para esses eventos que estão cada vez mais rotineiros? Como atender o cliente que se tornou mais exigente e passou a demandar produtos inovadores e de qualidade em uma velocidade que a maioria das empresas não estão preparadas para tal?

Essas perguntas passaram a ser pauta de discussão tanto para os CEOs, que precisam manter suas operações competitivas e lucrativas, quanto para os CIOs, que suportam esse desafio, principalmente porque, a partir de agora, é nítida a necessidade de toda empresa ser baseada na tecnologia, afinal de contas, ela é um dos pilares fundamentais em qualquer negócio na era digital.

Na encruzilhada entre lucratividade, disrupção, reinvenção e conseguir se modernizar a cada, no máximo, um ano e meio ou a cada crise, o primeiro passo é implantar uma cultura empresarial que permita manter viva os pilares ‘inovação, eficiência, resiliência e velocidade’.

Mas como atender o cliente, suprir seus desejos, ter velocidade, operar no meio do caos e ainda se destacar tanto em relação à posição do mercado, quanto à capacidade de manter uma operação eficiente e lucrativa? Nesta equação, volto a ressaltar o poder das empresas ambidestras, que buscam manter o equilíbrio entre a excelência operacional e a inovação, ou seja, as chaves para prosperar no novo mercado e obter diferencial competitivo.

As empresas ambidestras trabalham no modelo caórdico, ou seja, administram o caos e a ordem ao mesmo tempo. O caos é ser ágil, flexível e atender as expectativas do mercado atual e futuro, e, ainda, adaptar-se às crises. A ordem é fazer isso seguindo uma governança corporativa e processos que tragam segurança ao negócio. É ter uma definição clara dos objetivos e resultados esperados e acompanhá-los rigorosamente.

A área de Tecnologia da Informação foi uma das primeiras a implantar esse modelo através de pequenos times multidisciplinares para atender o negócio de forma autônoma, a famosa squad. O importante aqui é o modelo caórdico. Uma squad se adapta rapidamente ao mercado e ao cliente atendido (caos), as decisões são tomadas de forma autônoma (caos), porém dentro de sua alçada (ordem), ela segue objetivos e resultados claros que lhe foram definidos (ordem), que, na maioria das vezes, são trimestrais (caos e ordem), e segue padrões e regras já pré-estabelecidos para o desenvolvimento dos projetos (ordem).

Esse modelo pode ser implantado para qualquer área da empresa, tornando-a muito mais horizontal, levando assim, a diminuição da necessidade do famoso “comando-controle”. Isso tudo sem perder a governança do negócio.

Essa é uma mudança cultural que exigirá muito da sua liderança, mas é passo fundamental para se reinventar e ter longevidade nos negócios.

*Marcel Pratte é CEO da Viceri-Seidor, empresa de Tecnologia da Informação que há mais de 31 anos atua no desenvolvimento de software customizado, consultoria e produtos digitais. A Viceri-Seidor faz parte do Grupo Seidor, multinacional europeia de tecnologia e inovação com mais de 40 anos de atuação.

Fique por dentro de tudo que acontece na Viceri-Seidor

Assine a nossa Newsletter

Ao enviar este formulário, declaro que li e aceito a Declaração de Privacidade da Viceri.

Mais Insights.

Fale com a Viceri-Seidor.

Leve a revolução digital para a sua empresa hoje mesmo.

Onde estamos.

São Paulo
Belo Horizonte
Rio de Janeiro
Porto Alegre
Vila Velha
Goiânia
Jundiaí
Recife
Ribeirão Preto
Florianópolis
Curitiba

Tem alguma dúvida?

Entregamos muito mais que soluções tecnológicas, nós entregamos o valor real que o seu negócio precisa em toda nossa relação.

Faça parte.

Nós movemos o mundo junto com nossos talentos. Venha ser parte dessa transformação.